Jack Ma é um dos gigantes do capitalismo moderno. Nascido em Hansu, no ano de 1964, o chinês teve uma trajetória árdua e repleta de obstáculos, que desenvolveram desde cedo sua capacidade empreendedora. De imediato, compreendeu que dominar o inglês seria primordial, estudando por conta própria e arranjando seu primeiro trabalho, como guia turístico. É interessante observar que sua trajetória acadêmica foi marcada por decepções: Após concluir as etapas básicas com muito atraso, foi rejeitado por todas as universidades de renome que desejou ingressar, conseguindo finalmente se formar em inglês em uma instituição mediana. Profissionalmente, também demorou bastante para se destacar. Ficou marcada em sua vida uma incrível rejeição que sofreu quando tentou um posto no recém chegado KFC, que fez dele o único rejeitado no grupo de 25 candidatos.

Em 1995, entretanto, sua vida mudou radicalmente. Após viajar para os EUA, teve seu primeiro contato com a internet e já vislumbrou diversas possibilidades. Com faro cada vez mais aguçado para oportunidades de negócio, Jack Ma abriu sua primeira empresa, voltada para auxiliar as empresas chinesas a se posicionar na internet e vender seus produtos para o resto do mundo. Investiu praticamente tudo que tinha acumulado até ali, sendo muito bem sucedido e iniciando a construção de seu gigantesco patrimônio.

O desejo de conectar vendedores e consumidores de maneira virtual foi responsável pela criação do Alibaba, pouco tempo depois de seu primeiro negócio digital. Na busca por investidores e potenciais parceiros, Jack foi novamente categoricamente rejeitado, com a maioria afirmando que suas ideias eram inviáveis, deixando-o em situação financeira complicada. Bastou um ano de operação bem sucedida para que ele conseguisse o interesse dos investidores, conseguindo atrair cerca de U$ 25 milhões em 2000. Dois anos depois, o Alibaba auferia lucro pela primeira vez e, logo depois, via-se muito bem posicionado para aproveitar as oportunidades oriundas da crise do Sars e dos avanços da internet, cada vez mais veloz. Construiu, então, o Taobao, plataforma de e-commerce voltada para conectar todos os chineses interessados em fazer qualquer tipo de negócio. O sucesso foi tanto que até o eBay decidiu abandonar a China e em seguida tentar, sem sucesso, comprar a empresa de Jack.

A empresa seguiu avançando, oferecendo meios de pagamento próprios, assumindo controle das operações chinesas do Yahoo e consolidando seu braço de educação, voltada a capacitar o mercado empreendedor chinês. Investiram desde cedo em dois temas que são unanimidades hoje em dia: inteligência artificial e computação em nuvem. Fica evidente que o grupo jamais se acomodou, buscando revolucionar cada vez mais o mundo dos negócios.

Nasce em abril de 2010 o AliExpress, logo se tornando o carro chefe do grupo. Sempre com ofertas inacreditáveis, a plataforma permitiu que se crescesse enormemente em escala global, atendendo centenas de países. O tão esperado IPO da empresa, no ano de 2014, foi o maior já registrado na bolsa americana até então, acumulando mais de U$ 25 bilhões.

Foi observada ao longo da trajetória vitoriosa do grupo uma forte tendência em trazer para a China conceitos já consagrados no Ocidente, como o comparador de preços de viagens e o mensageiro mobile empresarial. A diversificação sempre foi marcante, ingressando também no ramo de comunicações, com a compra de importante jornal chinês, além das aventuras esportivas, sendo donos do poderoso clube de futebol Guangzhou Evergrand. São incontáveis iniciativas que seguem espelhando as inovações ocidentais, agregando valor e conquistando enormes mercados.

 

FATOS:

  • O Alibaba é responsável hoje por cerca de 60% de todo o e-commerce chinês.
  • O patrimônio de Jack Ma é de U$ 47,6 bilhões, sendo o homem mais rico da China.
  • Foi eleito em 2017 pela Fortune como o segundo líder mais influente do mundo.
  • Em 2018, foi revelado que o gênio dos negócios é membro do Partido Comunista Chinês, com o governo central tendo participação obrigatória em todos os seus negócios.
  • O grupo Alibaba soma mais de U$ 100 bilhões em patrimônio, sendo avaliado em U$ 420,9 bilhões.
  • Conta com 600 funcionários, entregando valor para mais de 240 países.
Menu